Ultimas Noticias...

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

“Quem se atrever a levar um tiro por Cristo, fique onde está. O resto, saia”


Durante a guerra cristera do México, um militar lança o desafio-ameaça a 600 católicos reunidos para uma missa clandestina. Quantos sobraram?

Os cristeros foram um grupo de heróis católicos que resistiram bravamente ao governo ateu e anticlerical do México nas primeiras décadas do século passado. Eles lutavam em defesa da fé e da Igreja e, quando presos e sentenciados à morte, morriam bradando:

VIVA CRISTO REI!

VIA A VIRGEM DE GUADALUPE!

As missas, naquele contexto de perseguição brutal, eram celebradas clandestinamente. Quando algum padre chegava ao povoado vestido “à paisana”, a informação corria de casa em casa com toda a discrição.

Certa vez, um povoado rural aguardava o sacerdote que viria no fim de semana. Os catequistas, também clandestinos, já tinham preparado grupos para receber o batismo e outros sacramentos. A celebração aconteceria num velho armazém capaz de abrigar algumas centenas de fiéis. No domingo de manhã, o depósito estava abarrotado com 600 pessoas.

De repente, o inesperado: entram no local dois homens uniformizados e armados.

Um deles levanta a voz e declara:

Aqueles que se atrevem a levar um tiro por Cristo fiquem onde estão. O resto pode sair já! As portas só vão ficar abertas durante 5 minutos”.

Imediatamente, vários integrantes do coral se levantaram e saíram. Alguns diáconos também foram embora, seguidos pela maior parte dos fiéis. Em menos dos 5 minutos, apenas 20 pessoas dentre os 600 paroquianos tinham permanecido no recinto.

O militar que tinha falado olhou então para o sacerdote e disse:

Muito bem, padre. Eu também sou cristão e já me desfiz dos hipócritas. Pode continuar a celebração”.

PARTILHA ISTO NA REDE SOCIAL !!!!!!!!

 
Copyright © 2014 Só te conto... . Designed by OddThemes | Distributed By Gooyaabi Templates